sábado, agosto 25, 2007

O amor odeia clichês


Noite de sexta-feira, sozinha no meu quarto, de banho tomado, tento escolher um entre todos os meus vestidos preferidos: Qual daria mais sorte, o branco de bolinhas pretas ou o preto de bolinhas brancas? Sigo com a dúvida cruel até o telefone, que toca desesperadamente. Esboço um sorriso. Será que é...? Bem que podia ser hoje! Bem que podia ser agora! Um amor novinho em folha! Um amor imaturo...Desses que transformam as calçadas em nuvens... É a minha mãe! Quem poderia ser? Também que idéia, alguém já viu amor fazer chamadas por telefone?! Parece que ele nunca chega na hora certa... Agora, por exemplo, que eu estou toda perfumada, escutando jazz e pronta para me entregar! Mas não, esse danado do amor costuma sempre chegar antes do momento esperado. Sabe naquele momento em que você acabou de se filiar ao partido das solteiras convictas e quer sair por ai, beijando todas as bocas? Então. Lá está ele, batendo na sua porta! Mas ai já viu, estamos ocupadas demais com a nossa liberdade e nem percebemos a visita. Ou então pior, ele chega bem atrasado. E te encontra assim, amarga, desconfiada, cheia de olheiras... Sem coragem de apostar! O amor então dá meia volta, volver! Egoísta, esse meu amigo... Não espera a nossa certeza. Ele é assim: apressado. Ou você segura ele, ou ele demora muito a passar. Às vezes passo meses procurando o amor, mas ele se esconde bem. O amor é como tesoura de unhas, nunca está onde à gente pensa. Fico aqui, pensando, quantas vezes eu fiquei hipnotizada por um babaca a festa toda, enquanto o amor estava ali, olhando diretamente pra mim, me chamando para dançar. Sabe ultimamente, ando acreditando que o amor está em todos os lugares, eu que não sei procurar direito. Ele pode está até aqui, lendo essas bobagens que eu escrevo... Imprevisível. “Mas será que o amor prefere o branco de bolinhas pretas ou o preto de bolinhas brancas?”

8 comentários:

Anônimo disse...

Estou apaixonado por você.

Anônimo disse...

E essa paixão é preta de bolinhas brancas de bolinhas pretas. Pro que der e vier, eu fico... larara... lararaarara... rarrraaa.

Pelos Olhos disse...

arrasou na declaração mas tem q dizer quem é...pra que serve amor ou paixão não compartilhados?

Patrícia Del Rey disse...

Paixão Anônima (do Lat. passione anonymu, s. f ): ato de sentir algo ambíguo; de dialogar atraves da poesia; Deixar a autora do blogger curiosa; O único sentimento caracterizado por ser preto de bolinhas brancas de bolinhas pretas!

Cirilo disse...

Convenhamos... é apaixonante mesmo!
Esse Sr. Anônimo tem razão... rs

Pelos Olhos disse...

adorei esse!

Cachaça e Fumaça disse...

Toc' Toc' Toc'

Bardo disse...

hehehe, o amor é u clichê.