quarta-feira, novembro 23, 2011

...

Pensei que não acabaria o dia. Que a fraqueza ia tomar conta. Que o choro ia derramar. Que o licor não faria enfeito. Fracassada. Impotente diante aos fatos. Deveria gritaria para surdos? Para os homens sem ouvidos? São apenas bocas e teclados. Pouco importa. Quando a dor é imensa, o ego é inflado.Deveria criticar todas as oligarquias. Entregar a minha dor ao ministério público. Ou poderia também olhar ao redor e chorar a dor do mundo. Ser mais solidário pra disfarçar o meu cheiro de enxofre. Mais uma troca, auto-engano. Porém, odeio os hipócritas, então, prefiro gritar foda-se e tomar um porre.

...pesar do mundo.

sexta-feira, novembro 18, 2011

Câmara Ligada





Hoje eu vou relatar os acontecimentos do programa "Câmara Ligada" da TV Câmera aqui no Blog. O convite para a minha participação no programa aconteceu por causa das ações poéticas da Andaime Cia de Teatro nas ruas. Ao som de Tulipa Ruiz, a Câmara Ligada quer discutir a importância de se fazer Arte na rua. Discutir não apenas sobre os artistas que fogem dos teatros e galerias de arte para dialogar com a cidade, mas também os artistas que encaram a rua como a sua escola. Quantas vezes somos surpreendidos por um malabarista no sinal? Ou uma poesia pixada na parede? Ou um espetáculo teatral no meio da praça? 

Essas ações são chamadas de intervenções urbanas. Elas transformam e embelezam a cidade. É como se a obra artística dependesse da rua para existe. A rua é parte fundamental da obra. A efemeridade, cantada por Tulipa, também está relacionada a esse fazer artístico. A Arte está ali, estampada no concreto, pedindo para ser apreciada, notada, percebida. Para assistir, basta abrir os olhos e encarar a cidade. Mas se você não tiver aberto para cidade, a arte passa e você não percebe. A arte se dá só pra quem se interessa, pra quem abraça a cidade como casa. A rua é o lugar do encontro e da cidadania. Ela é nossa.

Enquanto eu digito essas linhas, a deputada Jandira Feghali (PC do B - RJ), convidada do programa, relata a necessidade de se manter a rua aberta para as intervenções urbanas, e, sobretudo a importância de existir apoios governamentais para esse fazer artístico.

A professora/artista Bia Medeiros disse algo muito interessante: a arte não apenas interage na rua, mas ela também compõe o cotidiano. O empresário que passa pela rodoviária e vê uma artista passando com 20 galinhas, pode não perceber que aquilo é uma obra de arte, mas de alguma forma o questionamento da obra já passou pela sua cabeça. Ele se pergunta: Porque esse maluco tá com um monte de galinha pendurada?! E segue o seu dia, provavelmente ele inclusive vai relatar o fato para sua família mesmo sem saber que aquilo é uma obra de arte.  

Aqui no programa, a Andaime está realizando um SQF, queremos realizar uma festa de aniversário, sem que a produção e apresentadora, saiba o que está acontecendo. A Tatiana, atriz com bolo, vai tentar encontrar um aniversariante aqui na platéia, se a tal pessoa aparecer, a gente canta os parabéns. Senão, o SQF será realizado fora do programa, nos corredores da Câmera. Enquanto isso, o programa continua com os nossos balões de gás Helio enfeitam a decoração. O diretor Francis Wilker fala sobre o Teatro de Invasão,  que muitas vezes, utiliza a cidade como dramaturgia. Os atores criam a obra sobre a cidade e para a cidade.  Criando beleza para quem passa. 

As perguntas continuam dentro do programa, e o debate sobre a arte se aprofunda. Tatiana consegue o microfone e realiza a nossa ação: " Tulipa Ruiz, é seu aniversário?" A simpatia da cantora encanta e ela compra a nossa ação. Diz que é aniversariante. Palmas gerais. Confusão. Euforia. Nossa atriz, pede então o RG. Mais risos. "Não há nenhum aniversariante na plateia?" Não. Nada de parabéns, então. Nossos atores seguem para os corredores da Câmera. Eu continuo no estúdio, relatando nesse blog, o programa. Tulipa canta mais uma música, eu cantarolo no computador. A platéia vibra. Seguimos efêmeros e felizes! =]

beijos

sábado, novembro 12, 2011

Leve um entreaberta para as suas férias.


Venda do livro através desse blog. Não se preocupe a compra é segura. Basta depositar a bagatela de 25 reais na conta da tal poeta, e você receberá o seu exemplar em casa. Via correio. Em 5 dias. Aceito encomendas para Natal, Ano Novo e Funeral. =]

Pra a entrar em contato, mande e-mail para patriciadelrey@gmail.com

sexta-feira, novembro 11, 2011

quinta-feira, novembro 03, 2011

Coletivo Transverso


Ontem recebi a boa notícia que o Coletivo Transverso foi aprovado por mérito cultural pela Secretaria de Cultura do DF. O projeto é o primeiro colocado da sua categoria provando que a arte urbana está conquistando espaço/respeito das políticas públicas culturais.  Embora as intervenções, por sua própria natureza, tenham um caráter subversivo, o patrocínio é importante para garantir a pesquisa e a sobrevivência dos artistas envolvidos.
Sei que muita gente critica o apoio dos órgãos públicos para práticas de intervenções urbanas, sobretudo quando está ligado ao grafite e stencil (para muitos, ainda chamado de pixações). Mas será que não é interessante investir em um museu a céu aberto, com entrada franca, que dialoga com a cidade e o seu ritmo? Como medir a fruição de um espectador que passa de carro sempre no mesmo trajeto e, um belo dia, é surpreendido por uma poesia estampada no seu caminho rotineiro?
Talvez esse movimento interaja de forma mais eficaz com o espectador contemporâneo. Já tive oportunidade de escutar depoimentos impressionantes sobre o trabalho do Transverso. Como aquelas intervenções modificam os dias e caminhos dos passantes. Por não haver rosto/assinatura e por estar na rua, o trabalho do coletivo passa ser de todos os apreciadores.   


Pra saber mais:

O Coletivo Transverso é formado por artistas de áreas diversas. O principal conceito norteador é o de ataque poético e propõe a reflexão sobre as possibilidades de utilização do espaço público a partir da arte urbana não encomendada. A busca é colorir a cidade através de poesias e imagens. Se você mora em Brasília, já deve ter se deparado com as tais frases (gentilmente) pixadas nos muros e tesourinhas. Se não é daqui, pode ter acesso através do blog ou na página do facebook


Boa quinta-feira =]