sexta-feira, setembro 25, 2009

Ser ambíguo deslizando sobre uma corda bamba

Avião. Três horas e meia de vôo. Desconfortável. Outra fuga, outro planeta. Me escondo no Acre. Mais um fim de semana longe da minha cidade. Estarei excessiva de mim. A cabeça aqui. O coração aqui. E eu lá, no meio do nada. Terei uma puta crise sentimental naquele banheiro de azulejos antigos. Vou querer ser levada para longe. Pedir uma decisão dos céus. Escrever mil palavras impronunciáveis. Como posso misturar tudo no mesmo balaio? Eu passo despercebida no meio da multidão enquanto as minhas enormes listas de possíveis melhoras são escritas sobre o asfalto. Atenção, zelo, paciência. Qual é a rota certa? Estou dançando a nossa despedida? Vou implorar por uma filha. Um marido. E um cachorro. Depois, negarei qualquer estereótipo clichê. Não sou oito, não sou oitenta. Entre a liberdade vendida pelos hippies mofados e a loucura possível das atrizes, há uma mulher que ovula.




segunda-feira, setembro 21, 2009

" O louco é o homem que a sociedade não quer ouvir e que é impedido de enunciar certas verdades intoleráveis."
Antonin Artaud

quinta-feira, setembro 17, 2009

Uma boca que segue o desejo de ter você dentro, fora, entregue. Perene. Mesmo sem certeza, sem estrago. Pedaços que se espalharam. Meu cheiro entre você. Há passarinhos, de todas as cores, que voam sobre um fio. Me puxa para o meio. Breves beijos, breves toques, nenhum minuto mais. Precipitar é um verbo de ordem. Você me abala. Me cria asas. Você transforma a linha em triangulo.

quarta-feira, setembro 16, 2009

segunda-feira, setembro 14, 2009

quarta-feira, setembro 09, 2009

Sou um vampiro
que sempre te surpreende
e chupa seu sangue.
Me alimento de teu suor,
de tuas lágrimas,
de teu sêmen.
Tiro o teu folego
e te penetro te beijando
até nem saberes mais
que vivo dentro de ti.
Como parasita.
Como uma serpente.
Como um vírus.
Sou teu coração e tua merda.
Sou teu cérebro e tuas mãos.
Sou teus pés e tua língua.
E assim vou te enlouquecendo
como um demônio encerrado em teu peito.
Serás minha irremediavelmente.
A mulher do diabo.
E quando eu dormir,
porque então continuarei dormindo,
cravarás tuas presas em minha garganta
e serás a vampira
e chuparás meu sangue.
E te alimentarás do meu suor,
de minhas lágrimas e de meu sémen.
Tirarás meu fôlego
e me penetrarás me beijando
até a alma.
E viverei dentro de ti.
E tu viverás dentro de mim.

Pedro Juan Gutiérrez