segunda-feira, março 30, 2009

Quero fazer Nada



Depois de um fim de semana cansativo, vem a segunda-feira. E com ela, a sensação que tudo deve recomeçar, mesmo sem ter acabado ainda. A correria se estala já com o despertaDOR as 8 da matina. Parece que quando não se tem emprego fixo, a gente trabalha muito mais.

Ligações, decisões, internet. Vou digitando as letrinhas com afinco. Uma a uma. Em busca de um apoio que me deixe trabalhar em paz. Sou dependente de Sins. Vou mendigando, vendendo a alma. Tudo por amor a um deus egoísta.

Depois do almoço, tenho um tempo livre. A tarde vai ser imensa. Distribuirei 20 sorrisos de 1,99 para cada jornalista da cidade. Digestão do arroz com feijão, e uma momento mágico na rede. A descoberta sobre um clube de nadismo.

Nadismo é o simples e delicioso ato de não fazer nada! O objetivo desse clube era conjugar o verbo “nadar”, no sentido seco da coisa. Criar um momento especial que ofereça a oportunidade rara de efetivamente parar e não fazer coisa alguma.

Não pensei duas vezes e me filiei ao nada. Não são todas as segundas-feiras que achamos idéias interessantes na internet. Descobri que os eventos para a prática do nadismo são públicos e acontecem em tranqüilos parques.

Fechei os olhos e me imaginei dentro de um cubo branco, estatelada, saboreando as minhas horas vagas em pleno parque da cidade. Aquele silêncio, a mente tranqüila. A suavidade sorrindo sem a mínima pressa. Eu e o nada. Um caso de amor eterno.

Exatamente na hora do beijo, o celular gritou. Depois, o MSN chamou a minha atenção e tive que me despedir daquele doce de coco. “Pode deixar que amanhã, eu volto e trago reforço.” Em tempos de guerra, praticar o nada é coisa séria.

Segue as diretrizes da prática do Nadismo:

1- STOPNJOY!
Este tempo é totalmente seu para que você desfrute o fazer nada sem pressa.

2. ENTREGUE-SE!
Abandone a intenção de fazer nada. Esqueça qualquer objetivo, o nadismo não tem nenhum propósito.

3. SOSSEGUE!
Privilegie o silêncio e a imobilidade.

4. OBSERVE!
Evite ocupar-se mentalmente. Deixe a mente vagar como as nuvens.

Para se filiar, ler e beijar – Clube do Nadismo.

2 comentários:

Eu amo a E.Y. disse...

Oi Patrícia, interessante a proposta. Mas eu, há quase seis meses desempregado, não vajo a hora de deixar de fazer nada (risos)

Beijos

http://eu-amo-a-ey.blogspot.com/

ANILIAH disse...

Prima, impressionante como com mil e uma coisas pra fazer, vc ainda se dispõe a uma pratica tão apreciável como esta ! rsrsrs
Olha eu fui ver a peça da Elisa Lucinda : Parem de falar mal da Rotina. Descobri que a peça que eu fui ver dela que eu não tinha gostado era outra, e que essa peça é um monólogo só dela, e que é muito boa !!!!
Tomara que passe em Brasília pra que vc assista...
bjs e queijos