terça-feira, outubro 02, 2007

Choques instantâneos de realidade.

para ler escutando o cd “Outra Estação” do Legião Urbana

Meus choques instantâneos de realidade aparecem de repente, assim, sem mais nem menos. Mesmo sem nenhum convite, eles insistem em bater na minha porta. Às vezes na hora do almoço, no despertar de um sonho bobo ou dentro de uma lona de circo empoeirada. Eles chegam por todos os lados, são seguidores astutos. Costumam se entrelaçar no meio de uma noite suja qualquer, depois de algumas doses a mais ou ervas a menos . E se aproximam devagar, chegam de mansinho, como se fossem bichos que arrastam em direção a minha loucura. Eles tentam sugar o equilíbrio que conquistei as duras penas. Querem se apoderar do meu corpo, beijar a minha boca, fazer amor com a minha razão. Os choques de realidade são muitos, e dão medo. Tento escapar bebendo mais um copo, escorando em alguém que está do lado, dando uma risada sem graça. Tudo desnecessário. Eles continuam querendo entrar. E é logo em mim, que tenho os olhos cansados de ver o real. Ando inebriada na minha loucura, na fuga necessária, na minha incompatibilidade com o mundo. Eu, ser inapto. Desses que anda rindo desesperadamente pelos bares, na corrida por algo efêmero como o amor. Quero sair desse lugar frio, impuro e sujeito a esses choques de realidade. Preciso correr pra longe, um lugar que a vida não é apenas... e sim, poesia amanhecida na beira do lago.
* texto feito em 30.09.07

4 comentários:

Anônimo disse...

Choques de realidade. Amiga vc tá traduzindo sentimentos e emoções muito bem aki. Eu to sem inspiração...vou deixar logo um comentário pra não correr o risco de esquecer. Mas adorei seus textos e vou deixar minhas inspiração resurgir pra vir aki escrever pra vc.
Mas tá bom demais isso aki viu??
Passe a diante...bjus

Armazém de Knetas disse...

Para tanto é preciso que alguém deixe de me amar. O que é impossível porque ninguém jamais me amou. E eu também não sei o que é o amor. Ninguém jamais soube ou saberá nada sobre isso.
O amor é a invenção dos aristocratas desocupados que nos atirou na lama letal.
E aqui estamos, falando de amor sem saber que amor só faz sentido para quem o inventou. Como quem o inventou esqueceu a fórmula, ficamos a deriva, ficamos especulando. Mas amor mesmo, que é bom, não há.
Há um buraco no coração.

Salve Jorge disse...

(Uma resposta vinda de um disco posterior..)

"Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade
Tudo está perdido mas existem possibilidades.."

Pelos Olhos disse...

Tem dias que eu acordo com medo dela, mas logo eu desisto desse medo por que sei que sou mais forte... não há realidade que me impeça de estar onde estou... Bergman tem toda razão qdo diz: -Estou sempre esperando que alguma coisa terrível aconteça e me joga direto na realidade.

Talvez vc sofra mais qdo é jogada no mundo dos sonhos. Ele é perverso e não se explica.
Pra que quero uma vida acumulada por necessidades e trabalhos?
Nunca se dê o trabalho...trabalhe!