domingo, fevereiro 01, 2009

Re-Partido


Meu coração é uma soma

de todos os pedaços doados

pelas ruas sem esquinas.


É ausência de

um constante pulsar específico.


É a mistura de sotaques

que se instala num peito

vazio e grávido.


Bobo, poeta, escroto.

Meu coração sua a cada rima,

se despede a cada encontro.


Embalado para presente.

Ao viajante, outra parte.

Re-partida. Reticências.


Mais uma vez... meu coração,

não é meu.

10 comentários:

Camila disse...

me lembrei da Lou: "Se queres uma vida é preciso que a roubes" então pode roubar seu coração de volta pra você também...rsrs. Beijos!

Anônimo disse...

O passado ainda vale?

isaBela araújo silvA disse...

uhu!
sua fã, sempre.
é preciso parar de entregar o presente à qq esquina, sem perder a poesia. valorizar o pacote. surpreender os interlocutores.

PHeu* Liz disse...

o dom de escrever assim é p poucos,...

ahhh,... queria escrever parecido,...

coração repartido, costure-o,...

Jardineiro disse...

asas.
voos.
brasilia entra pela porta entreaberta e desperta
quanto ao coração?
não se preocupe
ele foi apenas passear.

Cavaleiro Andante disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
admirador escancarado disse...

Sem palavras...
Linda de viver.
Penso em vc e sinto carinho.
bjs

MArcello disse...

bellaa!! Mac Bella! hehhehe
gostei do poema...! Mas pelo que entendi é falando que seu coracao é de todos menos teu?! beijos...

pree disse...

ei, benhê.
vc podia me mandar uma leitura (gravación), néam?

ou a gente podia, de fato,s e encontrar.
onde estará sexta a noite? pq aí te encontro só pra falar rapidinho as idéias, até pq tenho que sair, e aí, a gente marca de grava depois, q tal?

dudupererê disse...

vida de coração é doída..
o meu de tanto apanhar parou de bater, só peças, pessoas.
ótima passagem.. volte.. paire...