quinta-feira, janeiro 22, 2009

poderia contar todas as minhas lembranças daquela terra encantada. das pessoas que passaram. das que permanecerão. narrar verdades ilusórias psicografadas em cores ácidas. mas prefiro me calar. deixar o silencio e a pagina em branco falar. minha solidão rege a ventania.



4 comentários:

Jardineiro disse...

de sombra, vento e espuma se desfaz a brisa que margeia a vida e traz pra pele um gosto seco de mar.
sonhar é a beleza de estar desperto.
E a brisa molha a lingua que se contorce de desejo e grita ao céu:
VERMELHO E VINHO, chova em minha garganta.

isaBela araújo silvA disse...

adorei que os ventos estão soprando pra essa lado novamente.
seu blog é bem bacana.
vou lendo devagarinho e comentando qdo conseguir.
obrigadíssima pela festa, pela pizza, pela poesia, pela música. vamos nos falando.
e por último: me passa tua poesia "do sangue quente e grosso" pra eu divulgar.
até mais!

th. disse...

Olá!

O Du me indicou o seu blog com o maior carinho. Depois eu vi que eu te vi ontem no blog do Marceleza. Deve ser alguma coincidência (ou providência)...

Enfim, vou virar habitué... Parabéns pela sua caixinha de palavras!!! Encanta-me! :)

thaís

th. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.