segunda-feira, dezembro 15, 2008

Primeiro é preciso descolorir, desbotar todas as cores antigas e apagar o que o tempo esqueceu. Tomar um banho de Água Raz dos pés a cabeça. Limpar as frestas, os poemas, o rosto inteiro. Virar página em branco sem nenhum traço ou encanto. Pálida de mim. Ficar assim, apagada e quieta, vestida de vazios. E depois de beijar o silêncio, aceitar a espera necessária da primeira gota de tinta nova sobre a pele antiga.

4 comentários:

Camila disse...

Nunca mais me visitou!!! Eu avisei a minha mudança de endereço e até hoje não atualizou no seu "fechaduras alheias"
ai ai ai!!!rsrsrs...

Uma bolinha branca do seu soutien resolveu ser negra pra morar no seu busto branco e fazer contraste!
sexy delicadeza.
Inté mais! Buona Notte.

Flor de Bela Alma disse...

Vamos descascar as palavras! Ou lembrar de Octavio Paz:
" Pensar o vazio para que o ser aflore..."
Lindo seu blog com novo visual!
Quero fazer um vestidinho para ti e colocar no meu blog Vestidos com Poesia. Vamos? Topa?
Beijo: Bia

A Riscar disse...

Você é linda demais.

E nem acredito que tão em breve nos encontraremos.

Amo a tua palavra, o teu clima, teu jeito, risada, lágrima, pés, boca, blog, cena. É isso, amo a tua cena e amo você nela.

Minha amiga linda!

Beijos!
PS: tá, tô bêbada, estranha, e sincera.

O Silva disse...

por onde vou... levo minhas cores...
em busca de peles, beijos e silêncio... logo passo por aí... logo não estou mais... leve e livre é quem vive na impermanência e na delícia das cores e das trocas... totalmente entregue ao momento... e nada mais...