sábado, dezembro 06, 2008

Hoje estou numa crise de carência horrorosa. Não consegui escrever uma linha sequer... mesmo com o peito cheio de coisas a serem ditas. Passei o dia na cama, bem clichê, deitada. Odeio quando isso acontece. Parece que a tristeza só vale à pena quando gera algo belo, e não lágrimas derramadas no edredom. Meu telefone tocou varias vezes, mas eu não quis atender ninguém. O tempo parou. Fiquei com a dúvida fútil entre curtir a minha deprê ou sair pra tentar esquecer. Optei pela primeira. O ano já acabou, e sinto um vazio no peito. Quanto pedaços de mim devem ser arrancados ainda?

2 comentários:

André Auke disse...

Isso acontece comigo, este momento não escrevo nada, não vem nada, mas também não ligo, pois sei que depois da seca vem a tempestade é sempre assim, qdo escrevo não vejo e nem quero o caminho do meio, heheheh.
Parabéns pelo blog, me encantou..

Bjs.

Correia disse...

Quando estou nesse ponto, o meu lado compositor é incitado, ontem mesmo, surgiu um blues maravilhoso proveniente desse pranto!