domingo, julho 12, 2009

Dia de lembrança. Fiquei deitada por horas. Depois vieram as fotos, a saudade do efêmero. Cachoeiras, risadas, café preto. Deu vontade de jogar tudo para alto. Virar hippie, sair sem destino. Acontece pelo menos uma vez por mês. É um desejo genuíno de voltar às origens. Vida leve. Pessoas insistem na besteira cristã que temos que sofrer para sermos felizes. Porque acreditar nessa bobagem desnecessária embalada por uma ideologia falida? Nós podemos muito mais. Em cada nascer do sol, sou mergulhada dessa certeza. A minha caminhada é feita em cima de pétalas de rosas brancas. Meus passos são marcados em peles saborosas. Dos meus beijos escorrem poemas rimados. Sou vento que dança descontinuamente pelo mundo. A felicidade existe, ela sorri principalmente aos domingos.

2 comentários:

Cavaleiro Andante disse...

Que bom.
Estou em um dia pra matar alguém e li esse texto de felicidades dominicais. Bom, ainda faltam alguns dias.

Inté

Marina Gregorutti disse...

Esses são os dias em que nossa "mulher selvagem" chama desesperadamente. Apenas devemos tetar descobrir para onde... Cada uma de nós tem o seu rumo.