domingo, dezembro 16, 2007

Lucy

Era um vez uma menina doce. Muito doce. Daquelas que quando a gente vê, derrete. Laços de fita e lentes cor de rosa. Falando assim parece que ela era um fresca. Mas não era. Ela era só doce. Suave. Levava a vida na flauta e ria pelos cantos. Tinha uma pegada leve sobre a areia. Gostava de criar teorias e padrões sob o luar. Era incrivel como ela penteava o mundo enquanto olhava as estrelas. A menina efêmera tinha sabor de bolo de chocolate.Era dessas pessoas que a gente nunca esquece. Sabe, as vezes, ela vem pedalando me encontrar. Nesses dias, o céu combina direitinho as suas cores. Tudo fica com cheiro de brisa. O som invade o mundo. E ela, me arrasta, suave como um beijo, para dentro de mim.




5 comentários:

Allan disse...

Nossa Paty Lú...muito bonita a poesia. Dá pra visualizar direitinho essa menina, andando de bicicletinha sob o céus de diamantes!! heheh
Bjão e inté

df_barbosa disse...

A inocencia de uma doce menina, enquanto brinca nessa tarde tranquila, faz o mundo parecer um lugar melhor.

Amarela disse...

Amiga, adorei essa menina doce...doce...
saudades de vc.Já...
bjos

Phêliz disse...

Oi paty passei hj por aqui...
Desejo um Pheuliz Ano Novo!!
Beijão,

PHeu.

garoto de reticências disse...

Tudo tão perfeito como um encontro consigo.
Melhor que isso, só um ano disso!
=*