quinta-feira, setembro 13, 2007

Enormes Óculos



Uma pausa e a falta de coragem de olhar de frente. Como uma adolescente no meio do furacão, onde as cores se misturam e eu me sinto preta e branca. Passo tardes ansiosas, andando de um lado para outro, de óculos escuros. Os meus óculos são enormes, verdadeiros escondedores de alma. Eles disfarçam as noites mal-dormidas que passo pensando em algo que me torne mais interessante pra você. Um papo-cabeça. Uma tinta nova no cabelo.Uma cara mais blasé. Eu, no meio do furacão, de óculos escuros. Essas lentes que não apenas escondem sentimentos, mas que servem também, para fitar você de rabo de olho. De mansinho, a meia luz e com uma esperança cega. Mas você passa sem graça e não me vê... Esse nosso silêncio que insiste em falar, dizer coisas sem sentidos, enquanto eu suspiro calada. A espera, a sensatez, a calma, todas essas que dançam entre as minhas mãos, enquanto eu sucumbo graças a um maldito Vênus em Áries! Uma vontade louca de te agarrar pelos cabelos e bagunçar a sua vida! E pra completar, ao som do B.B.King, essa lua em libra, que grita urgentemente a necessidade de ter o seu corpo junto ao meu. Eu, uma boba de óculos escuros, no meio desse furacão! E tudo isso apenas, pra tentar conquistar...você!

3 comentários:

Pelos Olhos disse...

Eu tb estaria com òculos enormes no meio do furacão.Mas eu estaria imóvel, no alto de uma montanha. Assistindo todos os fatos e participando imóvel.Só mostraria minha alma depois que o fruacão passasse e todos nó s voltássemos a ter cor.
Mas qdo eu tirasse os óculos...qdo eu tirasse os óculos...
estaria pronto para tomar cerveja com canudinho devorando peças enormas de carne sangrando, mesmo tendo passado pela brasa...
O que importa é o prazer de se lambusar... com sangue, claro!

Bad Brain Machine disse...

humpf...quebrei meus óculos escuros enormes ao limpá-lo...
e agora saio sem graça nas ruas dessa cidade sem graça...
enfrento o sol com um certo ar de que não merece nem um olhar, olhar pra que?
pra uns olhos sem negro a fitá-lo em silêncio...

ando sem graça sem meus óculos engraçados...


ps.:outro texto delicioso de se ler e imaginar nele.
a cena é perfeitamente descrivida em suas belas palavras.
boa semana!
beijo!

Armazém de Knetas disse...

Eu sou uma casinha no olho do furacão.