terça-feira, setembro 06, 2011

Sobre silêncio e gravidez


fotografia de Diego Bressani - Poéticas Urbanas

Sim, o blog está em silêncio. Ando sem tempo para poesia. Elas aparecem, cumprimentam e partem. Eu não me apego. Deixo passar. É como se não houvesse espaço suficiente para escrever. Continuo sentindo a presença, mas a tela fica branca. Talvez o fato seja transformado apenas depois de finalizar a minha gestação. Peço paciência aos leitores/visitantes.

Foi na 28ª semana que enviei o pedido de cadastramento no ISBN. Serei escritora de verdade - segundo as convenções. Engraçado. Lembro de quando recebi o diploma de interpretação teatral. O papel certifica de alguma forma a minha competência, mesmo que não se consiga nenhum personagem por ter aquele documento na mão. É preciso fazer o cadastro? Eu fiz. Espécie de pré-natal. E não é que até na burocracia toda houve certa emoção velada? A partir do recebimento do número terei uma nova palavra para lacunas profissionais: escritora.

Houve outras coisas bem mais legais e interessantes na semana passada. Como o projeto final do meu filhote. Quase um ultra-som. O Rafael Braga arrasou na diagramação. Uma delicadeza primorosa. Em cada página, eu percebo suas mãos sensíveis. Outro toque especial foram as belas fotos do Diego Bressani. Apenas três, mas que dialogam com todo o conceito do livro. Também recebi uma gentil e instigante orelha de um poeta brasiliense. Enfim, muita emoção pra uma mulher grávida.

Meu primeiro livro. Ler/falar/escutar a tal frase ainda me assusta. Gosto de dar importância, afinal, é um desejo antigo. Cozido ao forno brando, com temperos refinados. Não é um acontecimento banal. Tem valor imenso, independe do caráter literário e estético. Será entregue para o mundo, mas terá a minha cara. A vaidade impressa. E sim, isso dá muito medo.

Poderia continuar a exposição de todas as minhas angustias. Ou falar das outras semanas. Das duas próximas, em especial. Do orçamento, da boneca, da última revisão. E principalmente, sobre o nascimento no dia 21 de setembro/1º dia da primavera no Rayuela.  Mas como as grávidas ficam mais sonolentas nos últimos meses, deixarei para os próximos posts, ok?

beijo ansiosos, barriga cheia de vida.

2 comentários:

carolnespoli disse...

Engraçado foi ter lido "silêncio e gravidez" e, no final, "as grávidas ficam mais sonolentas". E não é que minha "barriga está cheia de vida" também? A diferença é que já bate um coração de verdade dentro dela! rs... Fiquei com vontade de compartilhar, apesar de nos conhecermos somente virtualmente!!!

Washington Oliveira (Waro) disse...

Parabéns, Patr!
Torço para que tenha todo sucesso do mundo!
Libera esse livro pra gente...